quinta-feira, 12 de julho de 2012

Horta orgânica na escola


O professor Odair José Zarger, juntamente com as turmas em que leciona (5° ano 02 e 5° ano 04) ficou responsável pela prova da Gincana Ambiental 2012 relacionada a ativação da horta e compostagem.
Aproveitando a deixa da prova, o professor elaborou um projeto voltado ao assunto, do qual os alunos participaram ativamente de todo o processo.

Etapas do projeto:

Primeiramente foi trabalhado em sala o conceito de agricultura orgânica, através de textos, explicações e exemplos. Além do conceito, os alunos estudaram sobre o atual valor econômico e a importância ecológica desse tipo de plantio.

Para você saber: agricultura orgânica é o termo usado para designar a produção de alimentos e outros produtos vegetais que não faz uso de produtos químicos sintéticos, tais como fertilizantes e pesticidas, aderindo aos princípios da agricultura sustentável. 

Guia Orgânico - Portfólio confeccionado por todos os alunos onde guardam as atividades e relatos do projeto. Detalhe da capa, feita com papel reciclado.

Após essa etapa, o professor discutiu com as turmas os métodos e técnicas existentes na produção de uma horta orgânica, para que então começassem a elaborar um plano de trabalho (o que fariam e como fariam) para a horta da escola.
A partir de então, as visitas ao espaço destinado à horta iniciaram-se. Sobre a observação do espaço físico, o professor esboçou, juntamente com os alunos, a medida e a escalonagem da horta, assim como discutiram sobre as alterações que deveriam ser feitas no espaço.

Professor Odair conversando com os alunos sobre o que deveria ser feito no espaço destinado à horta.

Com essa parte do projeto concluída, as turmas começaram a montar o composteiro (espaço destinado à compostagem dos resíduos orgânicos da escola).

Para você saber: compostagem é o conjunto de técnicas aplicadas para controlar a decomposição de materiais orgânicos, com a finalidade de obter, no menor tempo possível, um material rico em húmus e nutrientes, que pode ser utilizado como adubo para hortas e plantações de maior porte.

Composteiro

Para garantir um solo ainda mais rico em nutrientes, além do adubo produzido pela compostagem, em sala, o professor Odair repassou aos alunos a receita de um biofertilizante líquido, cujo processo de produção levou aproximadamente 30 dias. Durante todos os dias do processo de elaboração do biofertilizante (30), o professor envolveu vários alunos, tornando-os assim, responsáveis pelas tarefas referentes a produção do mesmo.

Para você saber:
Receita do biofertilizante líquido feito pelos alunos:

Ingredientes orgânicos
125 litros de água sem cloro;
30 kg de esterco de gado;
5 kg de húmus de minhoca;
1 litro de leite ou soro de leite;
5 kg de esterco de aves;
½ kg de açúcar mascavo ou 3 litros de garapa de cana;
½ kg de farinha de osso ou de farinha de conchas;
3kg de esterco de outros animais, como por exemplo cavalo ou coelho;
10 kg de plantas verdes.

Ingredientes minerais
5 kg de pedregulho mole moído (basalto);
3 kg de fosfato de rocha natural (araxá);
1,5 kg de sulfato de zinco;
1 kg de nitrato de cálcio;
500 g de sulfato de magnésio;
700 g de ácido bórico;
50 g de molibdato de amônio;
300 g de manganês;
300 g de sulfato de cobre.

Modo de preparo
Coloque todos os ingredientes orgânicos num tambor de 200 litros com o cuidado de não fechá-lo completamente. Os ingredientes minerais podem ser acrescentados em partes, misturando todos e dividindo a mistura em 5 pacotes com 2,5 kg cada durante 5 dias. Após 4 semanas de fermentação, o biofertilizante está pronto para ser usado.

Modo de utilizar
1 litro de solução em 3 litros de água.


Professor Odair fazendo a preparação inicial do biofertilizante líquido.

Com a compostagem e o biofertilizante em andamento, além do espaço físico já preparado, o professor e os alunos escolheram a variedade de mudas que seriam cultivadas. Dentre as escolhidas estão: alface, repolho, couve-flor, brócolis e beterraba.
Depois das mudas compradas, iniciou-se o plantio. O professor explicou que cada planta (verdura, legume ou hortaliça) tem um espaçamento que deve ser respeitado na hora do plantio. Respeitando o espaço adequado entre as plantas, os alunos realizaram, com a supervisão do professor, o plantio.

Alunos preparando a horta para receber as mudas.


Plantio das mudas.

Após essa etapa, o professor levava os alunos periodicamente à horta para que acompanhassem o crescimento das plantas e fizessem a colheita de determinados tipos no tempo certo.
Com a observação periódica da horta, os alunos presenciaram o aparecimento de algumas pragas, o que é comum, visto que por ser uma horta orgânica não foi utilizado nenhum tipo de produto químico para evitar isso.  As pragas encontradas foram larvas e pulgões. Para proteger a horta, foram retiradas as larvas e pulgões encontrados e misturados ao biofertilizante, ou seja, de problema passaram a ingrediente para um produto importante para a horta.
As verduras e legumes colhidos na horta fizeram parte da alimentação de todos os alunos da escola, estando presentes no cardápio da merenda escolar.

Colheita realizada pelos alunos.



Observação: além da horta plana (no chão) foi confeccionada também a horta suspensa, feita com garrafas pet fixadas em uma parede. A horta suspensa seguiu todo o processo da horta plana, com uma única diferença: a variedade de cultivo na horta suspensa limita-se ao tamanho da raiz, ou seja, só podem ser cultivadas plantas com raízes pequenas. Logo, os cultivos escolhidos para a horta suspensa da escola foram os temperos verdes e algumas flores (importantes, pois atraem os agentes polinizadores).

Horta suspensa.

Foto da horta orgânica após a colheita dos pés de alface.

Esse projeto, além de toda a importância ecológica, certamente ficará na memória de todos os alunos que o realizaram. Parabéns ao professor Odair pela iniciativa!

Até o próximo post!







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu MetaComentário!